Oncohematologia

Clonalidade T - rearranjo gênico de células T por PCR

Outros nomes: Pesquisa de clonalidade para células T, Amplificação por PCR do rearranjo gênico dorecept
Ler mais

Doenças

  • Doenças linfoproliferativas;
  • Linfoma T;

Prazo

Em até 10 dias úteis

Cobertura ANS

Este exame possui Cobertura da ANS.

Regiões / Genes Analisados

2 regiões / genes

Agendar via whatsapp
O que é o exame?

O teste está indicado na diferenciação de linfoproliferações T clonais vs. hiperplasias reativas, definição de linhagem em leucemias agudas indiferenciadas (linfoide T vs. B ou mieloide). Utilizam-se "primers" complementares aos segmentos gênicos que compõem a cadeia beta do receptor de células T. Os produtos da reação de PCR são analisados por eletroforese capilar. Neste método uma população clonal produz um pico único em contraste com uma população policlonal que, quando presente, apresenta vários picos. Em neoplasias clonais maduras de origem T, a prevalência de clonalidade e de 90%. Assim, a ausência de um pico monoclonal não e excludente para o diagnóstico de uma doença clonal de origem T.

Para que serve este exame?

Este exame pesquisa a presença de rearranjos VDJ das cadeias gama que codifica o receptor de células T. Caso seja negativo para esse rearranjo, o exame prossegue para avaliação de rearranjos na cadeia beta. Esse algoritmo é utilizado para definição da Clonalidade T de uma amostra. Utilizado para discriminar hiperplasia de neoplasia clonal T. Estabelecimento do diagnóstico de linfomas não Hodgkin T.

Voltar ao Topo