Oncohematologia

ABL1 pesquisa de mutação

Outros nomes: Resistência a inibidor de tirosina quinase, Mutação ABL1 inclui a T315I, Mutação ABL1,Mutação BCR-ABL1
Ler mais

Doenças

  • Leucemia mieloide crônica (LMC);

Prazo

Em até 10 dias úteis

Cobertura ANS

Este exame não possui Cobertura da ANS.

Regiões / Genes Analisados

1 regiões / genes

Agendar via whatsapp
O que é o exame?

Mutações no gene ABL1 são responsáveis por 30% dos casos de resistência ao tratamento com os inibidores de tirosina quinase de primeira geração (imatinibe) e os de segunda geração (nilotinibe e dasatinibe) em pacientes com leucemia mieloide crônica (LMC) em fase crônica ou nos pacientes que progrediram para a fase acelerada ou crise blástica. 75% dos casos de LLA Ph+ com resistência a inibidores tirosina quinase são devido a mutações no domínio quinase do gene ABL (P190 ou P210). Inclui a mutação T315.

Para que serve este exame?

Este exame pesquisa mutações no domínio tirosina quinase do gene ABL1 que podem ser responsáveis pela resistência ao uso de inibidores tirosina quinase ( Imatinibe, Dasatinibe e Nilotinibe). Inclui a mutação T315.

Voltar ao Topo