Blog

Voltar

Interação medicamentosa: Entenda como evitar os riscos da administração de medicamentos

interação medicamentosa ocorre quando você faz o uso de mais de um medicamento. Também existem interações entre o medicamento e certos alimentos ou bebidas.  

Isso pode diminuir a eficácia dos seus medicamentos, aumentar os efeitos colaterais inesperados ou até mesmo a sua  toxidade no organismo.  

Saber quais medicamentos interagem entre si ou quais fatores externos também podem interferir nestes riscos é uma tarefa muito difícil, pois ela demanda um enorme conhecimento cientifico. 

Mas então como podemos evitar estes riscos?  Existem ferramentas cientificas que fazem esse tipo de analise de forma muito confiável. Um bom exame de farmacogenomica pode lhe ajudar a resolver este problema. 

O que é interação medicamentosa? 

Interação medicamentosa é a capacidade que um medicamento tem de interferir no efeito de outro. Esta interferência pode ocorrer de algumas maneiras, seja inibindo ou seja diminuindo o seu efeito esperado, muitas vezes até mesmo aumentando os seus efeitos colaterais. 

Com frequência as pessoas tomam medicamentos combinados sem ter a mínima ideia de que talvez este fenômeno esteja ocorrendo. Também existem as interações entre os medicamentos e alguns hábitos de vida, como, por exemplo, o consumo exagerado de café, chá de camomila e álcool, que podem cortar o efeito do medicamento. 

Quais os riscos à saúde? 

As interações medicamentosas geram ou levam a riscos, como a resposta insatisfatória a algum tratamento e muitos efeitos colaterais. 

Tipos de interação medicamentosa 

As interações mais comuns são as chamadas droga-droga, onde um fármaco interfere no outro. Existem outros tipos que pouco frequentemente são lembrados, mas são muito importantes. Também existem as interações droga-hábito de vida, como por exemplo o consumo exagerado de cafeina que é capaz de cortar o efeito de alguns medicamentos.

Medicamento com medicamento  

Esse tipo de interação é comum entre dois ou mais medicamentos diferentes. Um exemplo é o uso conjunto de antiácidos e anti-inflamatórios. Os medicamentos antiácidos possuem a capacidade de diminuir a absorção dos anti-inflamatórios e, consequentemente, reduzir seu efeito.  

Medicamento com alimentos  

Alguns alimentos podem reduzir a absorção das tetraciclinas, o que é o caso do leite e produtos lácteos. Nesse caso, recomenda-se fazer a ingestão desses alimentos uma hora após ou nas duas horas que antecedem a administração de tetraciclinas. Outro exemplo é o chá de camomila, capaz de alterar o efeito de alguns medicamentos. 

Medicamento com drogas (lícitas ou ilícitas) 

Drogas lícitas, como as bebida alcoólicas, e drogas ilícitas são capazes de aumentar a toxidade hepática do paracetamol. Isso pode causar complicações no fígado do paciente. Além disso, elas podem também cortar o efeito de muitos fármacos. 

É importante se atentar ao uso de remédio para depressão. O seu efeito pode ser muito impactado quanto ingerido com outros medicamentos, de forma que o tratamento seria muito prejudicado. 

Também é preciso saber que cada pessoa responde de uma forma específica aos medicamentos, portanto, o estudo de farmacogenômica pode auxiliar qual medicação mais adequa a cada paciente. 

Que substâncias podem interferir na ação de um medicamento? 

Existe uma lista enorme de possibilidade de interação entre os medicamentos, alimentos e alguns hábitos de vida. Consulte o seu médico para saber mais detalhes. 

Como evitar a interação medicamentosa?  

Para evitar a interação é preciso saber do risco de cada medicamento e se ele interfere no outro ou nos outros que você esteja tomando. Os exames genéticos, quando associados a ferramentas de inteligencia, podem  ajudar a entender uma parte desse risco, seja em nível de interação medicamentos-medicamentos ou em nível de medicamentos-hábitos de vida. 

Alguns exames podem fazer muita diferença na busca pelo tratamento mais adequado à sua vida. Eles disponibilizam plataformas de avaliação em tempo real, acessadas pela internet. Este é o caso do exame PharmOne. Lá na plataforma, estas possibilidades de interações são avaliadas de forma automática, assim, diante de algum risco, você ou o seu médico poderão visualizá-las, mesmo antes de você comprar o remédio. 

Por Dr. Leandro Brust

Publicado por: Dr. Leandro Brust

Compartilhar

Voltar ao Topo